gaming gaming youtube

Assine gaming gaming youtube por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ministro israelense insinua que país retaliou contra Irã, Iraque e Iêmen

No front principal do conflito, hostilidades não cessaram nem mesmo na Noite de Natal, e ataques deixaram quase 80 mortos

Por Da Redação
Atualizado em 26 dez 2023, 09h35 - Publicado em 26 dez 2023, 09h16

O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, deu a entender nesta terça-feira, 26, que o país realizou ações de retaliação no Iraque, Iêmen e Irã por ataques realizados em oposição ao conflito contra militantes palestinos, liderados pelo Hamas, na Faixa de Gaza.

“Estamos em uma guerra de múltiplos fronts e sob ataques de sete palcos: Gaza, Líbano, Síria, Judeia e Samaria (Cisjordânia), Iraque, Iêmen e Irã. Já respondemos e adotamos ações em seis desses palcos”, disse a parlamentares.

Desde o início das hostilidades, após um ataque do Hamas em 7 de outubro, as Força de Defesa de Israel já responderam ataques diretos do Líbano e Síria, além de operações na Cisjordânia ocupada. O governo, no entanto, não divulgou oficialmente ações no Iêmen ou no Iraque, onde há forte presença de grupos apoiados pelo Irã.

No front principal do conflito, as tensões entre Israel e Hamas não cessam. Um ataque israelense na Faixa de Gaza deixou ao menos 70 mortos na Noite de Natal, segundo autoridades locais. O principal ponto destruído foi um campo de refugiados e os bombardeios duraram até a manhã de segunda-feira.

Continua após a publicidade

A região é a mesma que foi palco de outros ataques no final do mês de novembro — quando 30 pessoas teriam perdido a vida. Outras explosões na região durante o Natal teriam elevado o número de mortos para 78.

O ataque aconteceu pouco depois de o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovar, na sexta-feira 22, uma resolução que “exige” que todas as partes envolvidas no conflito permitam a “entrega segura e sem obstáculos de assistência humanitária em grande escala”.

A Rússia e os Estados Unidos, que poderiam ter vetado a medida por serem membros permanentes do órgão, abstiveram-se da votação, o que significa que a resolução foi aprovada com 13 votos a favor.

Continua após a publicidade

O Conselho de Segurança demorou quase 80 dias, desde o início do conflito no Oriente Médio, para aprovar um texto com a visão oficial do organismo, o que suscitou críticas por sua lentidão e ineficiência. A maioria dos entraves surgiu por parte dos Estados Unidos, que, aliado próximo de Israel, vetou as propostas que deixavam aberto espaço para críticas contra o exército e governo israelense e que pediam por um cessar-fogo imediato.

O antigo projeto de resolução fazia um apelo à “suspensão urgente das hostilidades” para permitir a entrada de ajuda humanitária em Gaza. Este ponto, no entanto, foi removido e substituído por um apelo a “medidas urgentes para permitir imediatamente o acesso humanitário seguro e sem entraves, e também para criar as condições para uma suspensão sustentável das hostilidades.”

Além disso, uma seção pedia ao secretário-geral das Nações Unidas para criar um mecanismo que seria “exclusivamente” responsável pelo monitoramento dos envios de insumos ao enclave, sem a intervenção de Israel. O ponto também foi foi alterado, e agora pede a nomeação de um “coordenador humanitário sênior e de reconstrução” com responsabilidade de “facilitar, coordenar, monitorar, e verificar em Gaza, conforme apropriado, a natureza humanitária de todas as remessas de ajuda”.

Continua após a publicidade
Publicidade
gaming gaming youtube Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por gaming gaming youtube.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.

gaming gaming youtube Mapa do site