gratis via de bet

Assine gratis via de bet por R$2,00/semana
Continua após publicidade

China contra-ataca Trump e anuncia tarifas sobre 128 produtos americanos

Medida deve afetar produtos como frutas, carne de porco e resíduos de alumínio

Por Da redação
Atualizado em 2 abr 2018, 22h02 - Publicado em 2 abr 2018, 09h02

AChina cumpriu a ameaça e anunciou nesta segunda-feira novas tarifas sobre 128 produtos americanos no valor de 3 bilhões de dólares, em resposta às taxas estabelecidas pelo presidente americano Donald Trump sobre as importações de aço e alumínio.

A decisão chinesa, adotada pela comissão governamental responsável pelos direitos alfandegários, afeta diversos produtos, como frutas, carne de porco e resíduos de alumínio.

As medidas foram reveladas após várias semanas de tensões bilaterais, que alimentam os temores de um conflito comercial aberto entre os dois gigantes mundiais.

Donald Trump anunciou em 22 de março que seu governo adotaria novas tarifas sobre uma série de produtos chineses no valor de 60 bilhões de dólares. As tarifas para a importação de aço (25%) e alumínio (10%) foram decididas em nome da “segurança nacional”, argumento que o ministério chinês do Comércio chamou de “abuso” das normas da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Continua após a publicidade

Diante das críticas internacionais à medida de Trump, vários países da União Europeia, México e Brasil, entre outros — ficaram isentos da nova medida, mas não a China.

Pequim respondeu de modo imediato à medida e anunciou a intenção de aplicar tarifas de 15% e 25% sobre uma lista de 128 produtos dos Estados Unidos, caso um acordo com Washington não fosse alcançado.

Continua após a publicidade

“Esperamos que os Estados Unidos abandonem o mais rápido possível as medidas que violam as normas da OMC, para a retomada normal do comércio sino-americano”, afirmou o ministério chinês do Comércio. “A cooperação entre China e Estados Unidos, as duas maiores economias mundiais, é a única opção possível”, completou a pasta.

Trump sempre menciona o colossal déficit comercial dos Estados Unidos com a China, de 375,2 bilhões de dólares em 2017, para justificar as medidas protecionistas. O presidente americano também acusa Pequim de beneficiar-se do sistema fiscal estabelecido para as empresas estrangeiras que se instalam na China, porque as inovações tecnológicas americanas acabam sendo roubadas.

A China, em resposta, afirma que os Estados Unidos devem acabar com a “intimidação econômica”, mas até o momento estava evitando atacar produtos agrícolas importantes, como a soja, ou empresas industriais de grande peso, como a Boeing, setores que podem ser afetados agora pelas novas tarifas, afirma o jornal oficial Global Times.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade
gratis via de bet Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por gratis via de bet.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.

gratis via de bet Mapa do site