crazy slots deepwoken

Assine crazy slots deepwoken por R$2,00/semana
Continua após publicidade

A queda do craque: Neymar fecha 2023 de modo melancólico

Tomara que ele volte, e volte bem — e tudo o que aqui vai escrito seja jogado fora

Por Fábio AltmanMateria seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 24 dez 2023, 08h06 - Publicado em 24 dez 2023, 08h00

Existe um jeito de medir o tamanho histórico de grandes jogadores brasileiros — e ele bebe do que há de mais agradável na paixão pelo futebol, a memória que não tem vergonha em distorcer um tantinho da realidade. Vamos lá, é assim a brincadeira: lembre um, dois momentos dos craques com a camisa amarela da seleção. De Pelé, o Rei, nem mesmo é preciso puxar pelos gols impossíveis — há quem fique com a cabeçada contra Gordon Banks, que não entrou, ou aquele balé diante do goleiro uruguaio Mazurkiewicz, que também terminou com a bola pela linha de fundo. Zico? Boa parte vai ficar com o pênalti desperdiçado contra a França, em 1986 — mas que tal o golaço de voleio contra a Nova Zelândia, em 1982? Romário tem uma Copa inteira, a de 1994, para chamar de sua. Ronaldo Fenômeno tem a dobradinha de gols na final contra a Alemanha, em 2002. Ronaldinho Gaúcho tem aquela bola voadora a encobrir David Seaman, da Inglaterra.

E Neymar? Neymar, Neymar… Com boa vontade dá para chegar no segundo gol, de canhota, na final da Copa das Confederações, em 2013. Quem sabe o inútil tento contra a Croácia, no Catar. É muito pouco. Com a amarelinha — a régua aqui escolhida —, o craque que nasceu para ser Pelé e nunca chegou lá, teve desempenho muito abaixo do que sempre se esperou. Ele não passa pelo teste. Neymar talvez tenha desperdiçado uma carreira que poderia ser inigualável. Preferiu a ribalta das redes sociais, a lealdade com os parças e as confusões em série a todo o resto. Fez escolhas erradas, e agora anda no ostracismo da Arábia Saudita. É um tremendo jogador, não há dúvida. Mas ele precisa ser reinventado. Em 2023, infelizmente, fechou o ano de modo amargo. Rompeu o ligamento cruzado anterior e o menisco do joelho esquerdo na derrota diante do Uruguai — lesões que devem tirá-lo dos gramados por mais de seis meses. É o melancólico retrato de uma carreira já mais para o fim do que para o começo, aos 31 anos de idade, e nessa altura a recuperação é sempre mais difícil. Ronaldo, quando estourou a patela, tinha 23 anos. Retornou, brilhou, venceu a Copa em 2002. Tomara que Neymar volte, e volte bem — e tudo o que aqui vai escrito seja jogado fora.

Publicado em crazy slots deepwoken de 22 de dezembro de 2023, edição nº 2873

crazy slots deepwoken Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por crazy slots deepwoken.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.

crazy slots deepwoken Mapa do site