klikme88 slots

Assine klikme88 slots por R$2,00/semana
Imagem Blog

klikme88 slots Gente Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

A uma semana do fim, ‘Terra e Paixão’ revela seus altos e baixos

Tata Werneck, casal gay, Tony Ramos… Quem se destacou na novela da TV Globo

Por Valmir MoratelliMateria seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 12 jan 2024, 17h00 - Publicado em 12 jan 2024, 11h00

Acoluna, que acompanhou de perto os bastidores de Terra e Paixão, destaca os doze pontos altos e baixos da trama que chega ao fim na próxima sexta-feira, 19, quando será substituída por Renascer.

OS DESTAQUES:

Tatá Werneck, conhecida pela veia cômica, soube segurar bem as cenas dramáticas de Anely. Se até a metade da trama era apenas uma jovem boba que fazia as vezes de stripper para a câmera atrás de Pix, depois se mostrou mais desenvolta e segura na dobradinha com a também ótima Debora Falabella(Lucinda).

– Tony Ramos interpretou Antonio La Selva com bons momentos, um vilão que entra para a sua galeria de personagens inesquecíveis. Ainda que a dobradinha com Gloria Pires (Irene) tenha sido mal aproveitada, a novela foi dominada por ele.

– A torcida pelo casal gay Ramiro e Kelvin, formado pelos atores Amaury LorenzoeDiego Martins, foi outro destaque da novela. Ainda assim vale ressaltar que o beijo gay demorou demais para ir ao ar, sob pressão dos telespectadores que queriam a cena há meses.

Rafael Vitti (Hélio) mostrou que já deixou de ser promessa de bom ator na emissora, exerceu com vigor seu papel.

Continua após a publicidade

– A direção da novela fez um acerto com planos abertos, aproveitando as imagens externas do Centro-Oeste, tal como a escolha por um cenário além do eixo Rio-SP. O agro nunca esteve tão pop na tela da emissora.

– A coluna também destaca a atuação de Leandro Lima (delegado Marino),Eliane Giardini (Agatha)ePaulo Lessa(Jonatas).

AS DECEPÇÕES:

Sem química, o casal Caio e Aline, formado por Cauã ReymondeBarbara Reis, não encantou. Como dito anteriormente, o destaque foi mesmo do romantismo “brutamontes” de Ramiro e Kelvin.

– À exceção de Kelvin, o núcleo do bar da Cândida (Susana Vieira) não teve história bem desenvolvida, deixando vários atores soltos pelos capítulos, sendo pouco ou nada aproveitados. A escola de alfabetização não teve nenhuma importância na história. A primeira parte da novela – com Antonio e Cândida jovens, por exemplo – serviu para que mesmo?

Continua após a publicidade

– A entrada de Thelma Guedes para auxiliar o texto final da novela foi um acerto, já que Walcyr Carrasco esgotou todas as suas “cartas” antes de chegar à metade da novela. Mas foi nítido o mudar de rumo de vários personagens – como a aproveitadora Graça (Agatha Moreira), que virou “santa” da noite para o dia.

O excesso de aparições do italiano chatíssimo feito por Rainer Cadete. Ninguém aguenta mais as tramoias fajutas de Luigi. Aliás, outro personagem que se perdeu foi Odilon. A coluna gostaria de saber: por onde anda Jonathan Azevedo, coitado?

Cenas de perseguição no meio do mato sem o mínimo de verossimilhança, sempre com Caio (Cauã Reymond) pulando na frente do delegado. Não pode né… E o sequestro de Aline (Barbara Reis) do convento foi sofrível.

– Talentos pouco aproveitados: Igor Angelkorte(Cacá), Leona Cavalli (Gladys), Flavio Bauraqui (Gentil) e o núcleo indígena totalmente à parte da história. Numa novela longuíssima no ar, não há desculpa para falta de tempo a eles. Pena.

Continua após a publicidade
Publicidade

klikme88 slots Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por klikme88 slots.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.

klikme88 slots Mapa do site