gaming 777

Assine gaming 777 por R$2,00/semana
Imagem Blog

Pé na estrada Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por André Sollitto
Viagens de carro para quem ama o caminho tanto quanto o destino
Continua após publicidade

“Brasil e América do Sul têm uma relação histórica com as picapes”

Em entrevista, Gonzalo Ibarzábal, presidente da Nissan no Brasil, fala sobre a popularidade dos modelos e a conexão com o público do agronegócio

Por André SollittoMateria seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 out 2023, 15h51 - Publicado em 27 out 2023, 10h35

Venderpicape hoje, no Brasil, é um bom negócio. Entre as divisões da categoria, há uma variedade crescente de opções, das compactas voltadas para o trabalho, como a Fiat Strada, veículo mais vendido do país em setembro, até as grandes, um segmento ainda incipiente, mas em rápido crescimento com a chegada de novos modelos.

O segmento mais disputado é o das picapes médias. São veículos na faixa dos 250.000 reais a 350.000 reais, com um pacote tecnológico robusto, tração nas quatro rodas e outros acessórios. Alguns, voltados para o trabalho pesado. Outros, para as trilhas off-road. Além da óbvia vocação utilitária, esses carros têm um apelo aspiracional muito forte, especialmente em regiões do Brasil onde o agronegócio é forte. É nesse segmento que está inserida a linha Nissan Frontier. Embora tenha um desempenho em vendas mais modesto se comparado à líder Hilux, da Toyota, é uma importante referência especialmente para quem gosta de trilhas e o terceiro veículo mais vendido da montadora japonesa, atrás do SUV Kicks e do sedã Versa.

Em entrevista exclusiva, o presidente e diretor-geral da Nissan no Brasil, Gonzalo Ibarzábal, fala sobre a concorrência no segmento, a relação do brasileiro com as picapes e opina sobre o futuro elétrico do setor automobilístico.

Como vocês estão olhando para o segmento de picapes médias, um dos mais disputados do mercado brasileiro no momento?
O segmento de picapes vem crescendo muito rapidamente. Foram muitos lançamentos ao longo do ano de 2023, não apenas entre as picapes médias, mas em pequenas e grandes também. E está muito disputado. Mas acreditamos que temos um produto que vem obtendo grande êxito. Somos uma marca estabelecida e reconhecida pelos clientes, não só pessoas físicas, mas também frotistas. Fundamentalmente, oferecemos robustez e qualidade. E são essas as características que o público preza quando vai comprar um veículo do tipo. É um investimento de longo prazo.

Continua após a publicidade

Como se diferenciar nesse segmento?
Agora, estamos lançando nossa garantia de seis anos. Estamos trabalhando nisso há meses, e é um produto global. Ninguém mais tem essa garantia. Foi um processo bem longo dentro da companhia para garantir que ele pudesse ser lançado. Hoje, estamos tranquilos, sabendo que oferecemos o melhor produto.

Qual o perfil do consumidor desse tipo de picape média?
São distintos perfis. O agronegócio é o clássico, onde está o maior volume de vendas, no interior do país. É um carro de trabalho, mas também que atende os produtores no fim de semana para sair com a família. O mesmo frotistas, mineradoras, companhias de trabalho. Aí, o foco está totalmente no trabalho, e temos produtos diferentes para esse público. E também aqui, no Brasil, há um público off-road. Caminhos divertidos, ir a lugares. O Brasil tem oferta gigantesca para ir. Quase 85% das estradas não são pavimentadas.

Como trata-se de um produto global, há diferenças entre o perfil de uso do brasileiro e de outros mercados?
O uso é bastante parecido. Nos Estados Unidos os usuários fazem muitas trilhas, mas aqui também. Em alguns mercados em que o uso é muito focado no trabalho, a picape pode não ter todas as tecnologias. Ela pode não ter, por exemplo, a câmera 360°, o teto solar, ou algumas tecnologias de segurança. No Brasil, colocamos todas as tecnologias porque o consumidor valoriza.

Continua após a publicidade

Por que no Brasil a picape é um veículo aspiracional, além do foco do trabalho?
Acredito que temos uma história, e isso vale para toda a América do Sul, com as picapes. O Brasil tem uma raiz forte no agro, no trabalho. E há uma identificação das picapes como ferramentas de trabalho. É um setor que respira essa robustez, que dá tranquilidade ao dirigir.

Mas há muitos consumidores que usam esses veículos apenas nas cidades.
É um produto que se impõe, se traduz em tranquilidade. No trânsito, a situação pode ficar mais complicada, e o motorista pode precisar de impor para encontrar seus caminhos. E a picape, na rua, transmite essa tranquilidade. Isso se transmite no tamanho, no desenho.

Em outros mercados, a Nissan tem uma picape grande em seu portfólio, a Titan. Vocês pensam em trazê-la para o Brasil, seguindo outras montadoras que fizeram movimentos semelhantes em 2023?
Estamos sempre de olho em alternativas e opções. O desafio nosso agora é crescer com a Frontier. Mas, antes de pensar em alternativas, queremos focar em nossa estratégia de crescimento, no momento está muito ancorada na Frontier, e acredito que, no momento, ela vem entregando os resultados que queremos, mas sempre podemos pensar em expandir.

Continua após a publicidade

Como você vê o avanço dos veículos elétricos e o desenvolvimento da infraestrutura de carregamento?
Demos o primeiro passo dos elétricos no Brasil com o Leaf, e ficamos muito felizes com o resultado que ele obteve. E cremos que tanto no Brasil quanto no resto do mundo a indústria está em um momento de mudança muito forte. E aqui, no Brasil, estamos acompanhando essa mudança, no momento focados no Leaf. E avançamos na infraestrutura. Começamos com sete concessionárias, e hoje toda a nossa rede está habilitada para carregar os veículos e também fornecer reparos. Acho que é um mercado que vai continuar crescendo rapidamente.

Publicidade

gaming 777 Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por gaming 777.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.

gaming 777 Mapa do site