brabet

BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana
Continua após publicidade

Dino diz que prisão de Zinho é resultado de trabalho planejado no Rio

Secretário do Ministério da Justiça Ricardo Cappelli afirmou que Zinho 'tem muito a dizer'

Por Diego Gimenes
Atualizado em 25 dez 2023, 13h46 - Publicado em 25 dez 2023, 12h25

O ministro da Justiça e futuro ministro do Supremo Tribunal Federal(STF),Flávio Dino, afirmou na manhã desta segunda-feira, 25, que a prisão do chefe da maior milícia do Rio de Janeiro, Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho, foi o resultado de “um trabalho sério e planejado que está sendo executado no Rio e em outros estados, no combate às facções criminosas”.

Já o secretário do Ministério da Justiça Ricardo Cappelli, em entrevista à GloboNews, afirmou que Zinho ‘tem muito a dizer’. “Nenhuma milícia consegue se estabelecer e dominar um território de cerca de 1/3 da cidade do RIo de Janeiro sem conexões poderosas. A prisão do Zinho não é um fim, é parte de um processo que está em curso. Não se encerra investigações nada com a prisão dele.”

O criminoso tinha 12 mandatos de prisão contra si e estava foragido desde 2018. Zinho se entregou à Polícia Federal no fim da tarde do último domingo, 24. Logo depois, ele foi transferido para o Complexo Penitenciário de Gericinó, de segurança máxima, em Bangu, na zona oeste do Rio. O criminoso foi o líder dos ataques no último mês de outubro que deixaram 30 ônibus queimados em um único dia após a morte de Matheus da Silva Rezende, o Faustão, sobrinho do miliciano.

“Registro mais um importante resultado do trabalho sério e planejado que está sendo executado no Rio de Janeiro e em outros estados, no combate às facções criminosas. No fim da tarde deste domingo, 24/12, a Polícia Federal, com apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, efetuou a prisão do miliciano mais procurado do estado do Rio de Janeiro”, escreveu o ministro Flávio Dino no X (antigo Twitter).

Um comboio de ao menos 50 homens foi mobilizado para a escolta do miliciano ao presídio de segurança máxima de Bangu 1 na manhã de Natal. Zinho negociava sua rendição há pelo menos uma semana. O governador do Rio, Cláudio Castro, afirmou que a prisão é uma vitória das forças de segurança do estado. “Essa é mais que uma vitória das polícias e do plano de segurança, mas da sociedade. A desarticulação desses grupos criminosos com prisões, apreensões e bloqueio financeiro e a detenção desse mafioso provam que estamos no caminho certo”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade
brabet Mapa do site
brabet Mapa do site